PUBLICIDADE


A Câmara de Vereadores de Pires do Rio aprovou por unanimidade um projeto de lei polêmico nesta quinta-feira (2). O texto determina que o vice-prefeito da cidade, Jader Pakaman (PDT), assuma funções específicas no Executivo pra que faça jus ao salário que recebe mensalmente como vice-prefeito. O vencimento do gestor é de R$8.500,00.

Dentre as atribuições que o vice-prefeito deve assumiu estão a participação nos planos de gestão fiscal, elaboração das metas fiscais, acompanhar os projetos do Executivo em tramitação e outras ações. "É inadmissível que o político receba dinheiro do povo sem uma função Ele tem responsabilidades com o município", disse o vereador Sandro Barbosa (Avante), em entrevista à TV Anhanguera.

O vice-prefeito, Jader Pakaman, que está em seu primeiro mandato recebeu a notícia com cautela e afirmou que isso não vai mudar em nada. "Tô aqui sempre atendendo o povo, olhando o problema da cidade pra ajudar no que for possível. Essa mudança não muda nada em minha vida", afirmou.

Como se trata de uma emenda na Lei Orgânica do Município, o projeto não precisa de sanção da prefeita Cida Tomazini (Podemos). Ele já foi divulgado e publicado no Diário Oficial do Município de Pires do Rio. A prefeitura e o Ministério Público de Goiás (MP-GO) disseram que vão analisar a constitucionalidade do projeto, ou seja, se está dentro das linhas da Constituição Federal.

Vice-prefeito está em seu primeiro mandato (Foto: Divulgação)

Poste um comentário