PUBLICIDADE

Foto: Secom Aparecida

A cidade de Aparecida de Goiânia identificou, somente neste fim de semana, 18 novos casos de Covid-19 provocados pela variante ômicron. Com isso, o município já totalizou 22 registros em moradores, configurando transmissão comunitária da variante do SARS-CoV-2. A detecção só foi possível graças ao Programa Municipal de Sequenciamento Genômico que analisa amostras positivas da infecção para mapear a informação genética e identificar as variantes do novo coronavírus em circulação.

A transmissão comunitária existe quando há casos do vírus na população entre pessoas que não estiveram nos países com registro da doença, nem tiveram contato com quem esteve. Aparecida possui um caso assim e outros quatro em investigação, de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS). De acordo com o Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (CIEVS) de Aparecida, “observando o cenário da última semana e sabendo da alta capacidade de transmissão da ômicron, constatamos que já temos a transmissão comunitária no município,” destaca a chefe do Centro, Giselle Caetano Souza.

O CIEVS de Aparecida, que funciona 24h por dia e atua também como elo com o Estado e o Ministério da Saúde (MS) no monitoramento dos casos de Covid-19 e nos sistemas de informações, bem como na elaboração de alertas epidemiológicos, dentre outras atribuições, já investigou, desde 12 de dezembro até este domingo (26), mais de 36 casos da doença que foram sequenciados. Deste total veio a confirmação das 22 pessoas com a variante.

Sequenciamento Genômico

A SMS ampliou o Programa de Sequenciamento Genômico, a maior estratégia do gênero já realizada em uma cidade brasileira segundo a plataforma internacional GISAID, entidade com banco de dados sobre genomas de vírus. Assim, todas as amostras com Covid-19 coletadas a partir de 8 de dezembro – quando uma das moradoras testou positivo para a infecção – e que se enquadram nos critérios científicos são sequenciadas.

Foto: Secom Aparecida

“Estamos focados em controlar a doença com ações de testagem em massa e vigilância genômica. Até o momento já realizamos mais de 409 mil testes RT-PCR padrão ouro. A testagem em massa possibilita o diagnóstico precoce, o rápido isolamento dos doentes e o monitoramento dos pacientes pela Telemedicina e pela Vigilância. Ao mesmo tempo, temos o maior Programa Municipal de Vigilância Genômica, que já realizou mais de 2.300 sequenciamentos”, destaca o secretário de Saúde, Alessandro Magalhães.

Variante ômicron

Segundo o Ministério da Saúde (MS), evidências científicas apontam que a variante ômicron possui um índice de transmissibilidade maior que as outras, mas não há estudos comprovados sobre a sua severidade e nem sobre a resposta vacinal contra a nova variante. "Sobretudo é preciso se vacinar! A vacinação é fundamental e continua salvando vidas", enfatiza Alessandro.

Aparecida é referência em testagem no Estado, sendo o município que realiza mais testes proporcionalmente à sua população. Em 3 de novembro, por exemplo, a cidade contabilizava 395.525 testes RT-PCR, o que representava 52% de todos os então 756.317 exames padrão ouro realizados em Goiás.

--
Com informações da Prefeitura de Aparecida

Poste um comentário