PUBLICIDADE

Foto: Claudivino Antunes

Aparecida de Goiânia, com vocação industrial e empresarial, recebeu nesta quinta-feira, 25, o 8° Encontro Internacional de Comércio Exterior (EICE), no Anfiteatro Municipal Cantor Leandro. O evento reuniu, de forma presencial e online, mais de 500 empresários e investidores, especialistas do comércio exterior e representantes diplomáticos, com objetivo de incentivar a internacionalização das empresas e indústrias para competitividade na exportação e crescimento econômico.

Promovido pela Prefeitura de Aparecida e Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg), contou com a presença do prefeito Gustavo Mendanha, do presidente da Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg), Sandro Mabel, do gerente de Estratégias do Sebrae Goiás, Francisco Lima, o presidente da Câmara Municipal, André Fortaleza, presidente da Associação Comercial e Industrial de Aparecida de Goiânia (Aciag), Leopoldo Moreira, e várias autoridades e lideranças empresariais.

Durante apresentação, o prefeito Gustavo Mendanha destacou as potencialidades do município que tem vocação industrial e empresarial. “Aparecida se internacionalizou nos últimos anos e por isso buscamos sempre um contato direto com empresas. Nós temos uma localização logística estratégica, com uma agenda permanente de desburocratização, facilidades para que empresas que aqui se instalarem tenham a garantia de que seus negócios vão prosperar e obviamente gerando receita, oportunidade de trabalho e grandes negócios”, pontou o gestor municipal.

O presidente da Fieg, Sandro Mabel, destacou em sua participação online, que a exportação é uma cultura que precisa ser estimulada. “Este evento é para sensibilizar investidores para atuar no mercado externo como uma estratégia de negócio, de penetração de mercado. O evento acontece em Aparecida de Goiânia justamente porque a cidade tem muitas empresas com potencial exportador. E exportar é uma cultura que precisa ser cada vez mais cultivada. Precisamos romper fronteiras e otimizar o comércio internacional. Queremos estimular para que Goiás não fique exportando apenas grãos e minérios, mas produtos acabados, criativos, de valor agregado”, afirmou.

--
Com informações da Secom Aparecida

Poste um comentário