PUBLICIDADE


O Ministério Público de Goiás (MPGO), por meio de depoimentos colhidos nesta segunda-feira (25), apontou que o ex-secretário de Saúde de Pires do Rio, Assis Silva Filho, também furou a fila e foi vacinado contra a Covid-19. O ex-secretário é acusado, além disso, de imunizar a própria esposa. Ambos não fazem parte do grupo prioritário do Ministério da Saúde.

De acordo com o promotor de Justiça, Marcelo Borges, seis testemunhas ouvidas no caso, entre elas trabalhadores da saúde, revelaram que o então secretário usou de seu cargo para ordenar a vacinação a ele, à esposa e outras pessoas fora do grupo de prioridade.

"Além dele e da esposa, as testemunhas indicaram que uma terceira pessoa fora da lista de prioridades teria sido beneficiada com essa ordem de furar a fila – essa pessoa foi imunizada em casa", diz o MPGO. As testemunhas também disseram que foram coagidas e pressionadas pelo ex-secretário para realizarem as imunizações. O caso continua em investigação.

O vídeo em que o ex-secretário aparecia pedindo desculpas à população pelo fato foi excluído de seu perfil nas redes sociais. A prefeita da cidade, Cida Tomazini, não comentou o caso.

Poste um comentário