PUBLICIDADE


Fábio Júnior Oliveira Santos, de 38 anos, está entre os quatro homens que, segundo a Polícia Militar (PM), morreram durante uma troca de tiros com equipes do Batalhão de Choque na tarde da última terça-feira (29), na zona rural de Varjão, cidade distante 71 quilômetros de Goiânia. Na tarde desta quinta-feira (31), a Polícia Civil (PC) anunciou que montou uma força tarefa para investigar o caso. Segundo a família, o motorista de aplicativo estaria trabalhando quando foi morto com tiros no rosto.

Fábio Júnior foi visto com vida pela última vez no final da madrugada da última terça-feira (29), quando saiu da casa onde morava com a mulher e filhos, em Senador Canedo, para trabalhar como motorista para um aplicativo. No final da tarde de quinta-feira, familiares encontraram o corpo dele no Instituto Médico Legal (IML) de Aparecida de Goiânia e teriam sido informados que ele havia sido morto junto com outros três homens durante uma troca de tiros com policiais militares.

Conforme a ocorrência registrada pela PM, militares do Batalhão de Choque receberam uma denúncia anônima dizendo que criminosos fortemente armados atacariam fazendas na tarde de terça-feira (29), perto de Varjão. Em patrulhamento pela zona rural, equipes do Choque teriam localizado os assaltantes, que estavam veículo Classic, perto da entrada da Fazenda São Sebastião. Ainda segundo a ocorrência registrada pela PM, quando abordados, os quatro ocupantes do veículo teriam descido atirando contra os policiais, que revidaram.

Após o suposto confronto, que deixou os quatro ocupantes do Classic mortos, os PMs apresentaram três revólveres, uma espingarda uma toca ninja e um alicate corta vergalhão, que estariam com os suspeitos. Fábio Júnior era o único que estava com documentos. Contudo, a morte dele não foi comunicada à família. Isso chamou a atenção da Polícia Civil.

Para as investigações foi montada uma força tarefa e solicitada a perícia no veículo, e no corpo do motorista para descobrir de quais armas saíram os disparos que o atingiram. O delegado Regional de Trindade, André Fernandes, informa que nos próximos dias vai solicitar uma reconstituição do confronto. “Amanhã cedo nós vamos ouvir os familiares, e já estamos em contato com o aplicativo para descobrir se no momento em que houve o confronto o Fábio Júnior estava fazendo, ou não, uma corrida”, declarou.
--
Fonte: Mais Goiás
Foto: Arquivo Pessoal