PUBLICIDADE


O advogado Carlos Márcio Macedo, faz parte da defesa do goiano Leônidas Bueno Fernandes Filho, 40 anos. O médico foi preso no último sábado (14) por envolvimento em uma rinha de cães em São Paulo. Carlos afirmou na quarta-feira (18), que o cliente é “aficionado por cães e sempre atuou de maneira ética e legal”. O advogado manteve o argumento do médico, que estaria no local para buscar um cachorro e não para participar da rinha. Leônidas foi liberado após pagar fiança de 60 salários mínimos.

“Ele ama cachorros e, além de ter ido buscar esse animal, ele foi para Mairiporã (SP) participar de um evento legalizado chamado “Game Dog”. Leônidas tem o costume de participar desses eventos, que procuram explorar as carácteres marcantes da raça pitbull. No momento da ação policial ele estava no local confraternizando e não sei precisar se ele tinha conhecimento dos cães machucados”, afirma, Carlos Márcio.

O advogado diz que Leônidas já está em Goiânia. Mas que não teve tempo para conversar com o cliente, pois ele “está sem condições psicológicas de falar”. “As informações são bem poucas, ainda não tive acesso ao processo e ao teor da investigação. Agora entraremos no período de recesso forense, então terei de esperar alguns dias para conversar com ele, que está muito abalado” acrescenta.

Carlos Márcio Macedo diz que o médico não conhecia o veterinário que também foi detido na ação da Polícia Civil (PC). “Eles não se conhecem e não procede a informação que os dois reanimavam os cães para continuarem a lutar, muito menos que estavam consumindo carne de um cachorro que morreu após as brigas”.

O advogado conclui alegando que “Leônidas não possui nenhuma ficha criminal ou reclamação no conselho de medicina”.

Posicionamento do Cremego

Na última terça-feira (17), o vereador Zander Fábio (Patriotas) apresentou na Câmara Municipal um requerimento solicitando ao Conselho Regional de Medicina em Goiás (Cremego) a cassação do registro do médico gastroenterologista. E a decisão que soltou o gastroenterologista solicita que o Cremego seja oficiado sobre a prisão.

Por meio de nota, o Cremego informou que “repudia qualquer forma de violência, desrespeito e agressão à vida humana e animal”. Em relação à rinha de cães, o Conselho afirma que “confia no trabalho dos policiais e na Justiça e espera que as responsabilidades sejam apuradas e os envolvidos sejam punidos de acordo com a lei”.

“No caso do médico, o Cremego vai avaliar o fato dentro de sua competência legal. Contudo, pelo caso ter ocorrido em São Paulo, qualquer apuração caberá ao Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp), mesmo o médico sendo inscrito em Goiás. O Cremego se solidariza com a indignação popular e espera que todos os responsáveis sejam identificados, julgados e penalizados”, conclui a publicação.

Repercussão sobre a rinha de cães

No Facebook, um protesto contra tortura de animais é organizado para a próxima quinta-feira (19) às 8h30, na porta da clínica onde o médico trabalha.

Diversas pessoas têm usado as redes sociais para expressar revolta em relação ao caso. “Agora ele vai ficar famoso como merece”, publicou um internauta. “Difícil entender como um médico chega a esse nível de deformidade de caráter. Estudou para salvar vidas e sente prazer em ver os animais sofrendo”, disse outro.

Pelo Facebook, a irmã de Leônidas fez uma publicação em defesa dele na manhã desta quarta-feira. A dermatologista Lana Bezerra pede: “tenham compaixão e piedade do meu irmão Leônidas Bueno, da minha família!(sic)”.


--
Fonte: Mais Goiás