PUBLICIDADE


O Ministério Público Eleitoral desencadeou, na manhã desta quinta-feira (5), operação para desarticular grupo suspeito de produzir e divulgar pesquisas eleitorais fraudulentas em todo o estado de Goiás. As investigações mostram que a empresa IPOP-Cidades & Negócios produziu e divulgou 349 pesquisas suspeitas em 191 dos 246 municípios goianos desde fevereiro deste ano.

As fraudes consistem em produzir pesquisas que não refletem a realidade das intenções de voto dos eleitores, com desobediência dos requisitos exigidos na legislação eleitoral, em bairros inexistentes e com oferta criminosa de manipulação de dados em favor de candidatos. 

Os agentes cumpriram quatro mandados de busca e apreensão na sede da empresa e nas residências do proprietário Márcio Rogério Pereira Gomes, e da estatística Karen Cristina Alves Pessoa, em Goiânia e Aparecida de Goiânia. Eles são suspeitos de crime de pesquisa eleitoral fraudulenta, com pena de 6 meses a um ano, além de serem responsabilizados pela fraude eleitoral.

De acordo com levantamento do Ministério Público, Márcio Rogério teria atuado da mesma forma nas eleições de 2016 em vários de municípios de São Paulo. Ele responde a dezenas de processos cíveis e criminais na Justiça Eleitoral paulista, já tendo sido condenado em vários deles. Com a descoberta de sua atuação em São Paulo, migrou para o Estado de Goiás neste ano de 2020, onde criou a empresa IPOP com o mesmo objetivo criminoso.

--
Foto: Divulgação/MP
Fonte: MP

--

O Portal GO 020 realiza a melhor e maior cobertura jornalística das Eleições Municipais na Região da Estrada de Ferro com confiança, isenção e credibilidade. Adicione o WhatsApp (62) 98153-1564 para receber conteúdo e acompanhe as redes sociais em @portalgo020.

Poste um comentário