PUBLICIDADE


Após ser preso suspeito de roubo, um jovem de 19 anos foi flagrado quando dava entrada no presídio  de Senador Canedo, com dez celulares escondidos no gesso que imobilizava sua clavícula. 

De acordo com  a Polícia Civil (PC), depois de cometer o roubo, ele "ficou dando sopa" para ser preso porque precisava entrar na cadeia com os celulares. Ainda conforme a corporação, ele forjou o ferimento para esconder os aparelhos e repassá-los a um detento com quem tinha uma dívida, como forma de quitá-la.

O caso aconteceu na terça-feira (14). Além dos telefones, debaixo do gesso havia também chips, cartões de memória, cabos e fones de ouvido.

Segundo a Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP), o jovem disse que precisou ter o membro engessado após sofrer um acidente de trânsito. Porém, de acordo com a PC, ele não estava machucado e disse que a pessoa que pediu que ele fizesse isso contratou uma enfermeira, que se encontrou com ele e o auxiliou a esconder os celulares.

As investigações prosseguem no intuito de descobrir quem é o mandante e se quem o ajudou na farsa de fato era uma enfermeira, porque o jovem disse apenas o primeiro nome dela e não sabia outras informações, como telefone e endereço.
--
Fonte: G1 Goiás
Foto: Reprodução/TV Anhanguera