PUBLICIDADE


Um Vigilante Penitenciário Temporário (VPT), que estava lotado na Unidade Prisional Regional de Caldas Novas, foi preso após ser flagrado repassando celulares, acessórios e porções de drogas aos detentos do presídio, na madrugada deste domingo (19).

De acordo com informações da Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP), ele também é suspeito de ter facilitado a fuga de dois detentos que cumpriam pena por homicídio. A fuga ocorreu também neste domingo (19). Os fugitivos são Lucas Victor Rezende da Silva e Wanderson Evarista Silva.


O servidor, de 37 anos, foi flagrado através de câmeras de monitoramento no momento em que ele repassou os celulares e a droga. As imagens também comprovam que o vigilante não realizou os procedimentos no momento em que os detentos impetravam fuga.

Analisando as imagens, a direção suspeita que o funcionário realizou remanejamento de detentos sem aviso prévio e determinação de superiores, o que teria facilitado o acesso deles ao espaço externo das celas, deixando-os livres para fugir do presídio.

Ele foi preso e levado à Delegacia de Polícia Civil (PC) do município. A DGAP também abriu procedimentos administrativos internos para apuração das responsabilidades.

Com o servidor, foram apreendidos ainda uma quantia em dinheiro, um cheque, dois celulares, porção de droga, um pedaço de ferro, carregador para eletrônicos e diversas caixas de acessórios para aparelhos móveis.

Leia nota da DGAP:

“Monitoração por meio de câmeras de segurança

Visando o aumento da segurança a Unidade Prisional Regional de Caldas Novas, pertencente à 4ª Coordenação Regional Prisional da Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP), concluiu nesta semana, a Instalação do videomonitoranento do presídio. A ação foi de suma importância para a prisão do VPT. 

A conclusão da instalação do vídeomonitoramento foi realizada com recursos viabilizados por parceria com o poder judiciário local e a DGAP.

O presídio passa a contar com o auxilio de 31 câmeras no videomotioramento de todos os ambientes do local. As imagens servirão de apoio para as investigações sobre o fato ocorrido”.
--
Fonte: Mais Goiás
Foto: Reprodução