PUBLICIDADE


O prefeito Iris Rezende (MDB) afirmou na terça-feira (7), durante evento de lançamento de obras do Cais da Chácara do Governador, que não se candidatará à reeleição no pleito deste ano.

O emedebista reiterou várias vezes em entrevista coletiva que não pretende lançar uma candidatura e fez diversos apelos à população para que escolha bem seu sucessor. "Não vou disputar nova eleição, espero, mas vou fazer um apelo ao povo. Não vote por votar. Escolha quem realmente tem compromisso com o povo. De conversa fiada, o Brasil está cheio. Quando se escolhe mal, o desastre é inevitável", disse.

Rezende citou a idade avançada e a preocupação com a saúde como um dos principais motivos para ficar longe das eleições municipais de 2020. "Tudo na vida tem limite. Completei agora 86 anos. Tenho que raciocinar bem. Uma pessoa de 86 anos corre muito mais ricos. Tenho que ter um desconfiômetro de me preocupar com a escolha do meu sucessor, mas essa escolha não será por mim alimentada. Apenas pedirei que Goiânia estude, fiscalize e pesquise a vida dos candidatos", reforçou.

O prefeito também destacou que não assumirá paternidade de qualquer candidatura e disse que não sabe quem seria o indicado do MDB para concorrer às eleições. "Eu não quero precipitar as coisas. O MDB é um partido maduro e não vai errar na escolha de um representante nas eleições. Não quero politizar meu trabalho. Vou respeitar as candidaturas", afirmou.

Casa arrumada

O prefeito afirmou que deixará o Paço organizado para quem vier a sucedê-lo. Conforme Rezende, sua gestão foi capaz de quitar dívidas de grande monta deixadas por administrações passadas e ainda realizar investimentos na cidade. "A Prefeitura estava com déficit mensal de R$ 31 milhões e uma dívida superior a R$ 1 bilhão. Passei dois anos voltado para consertar essa situação. Deixarei a Prefeitura sem dívida e tudo em perfeitas condições de funcionamento. Mas não adianta todo esse esforço se amanhã votarem por votar, e a Prefeitura cair na mão de pessoas incompetentes e até irresponsáveis", pontuou.
--
Fonte: Diário de Goiás