PUBLICIDADE


Laudos divulgados pela Polícia Civil nesta terça-feira (3) comprovam que a gerente de supermercado Fernanda Souza Silva, de 33 anos, foi morta a golpes de madeira antes de ter o corpo carbonizado e enterrado pelo namorado em um matagal em Caldas Novas, entre os dias 12 e 17 de fevereiro deste ano. Allan Pereira dos Reis, de 22 anos, confessou o crime e foi preso no último dia 18 de fevereiro. Quatro dias depois, ele foi encontrado morto na cela em que estava sozinho no Núcleo de Custódia, em Aparecida.

Segundo o delegado responsável pelas investigações, Antônio André Santos Júnior, os laudos também afastam a hipótese de estrangulamento, pois não foi constatada lesão na traqueia da vítima. Os resultados, de acordo com a investigação, demonstram que o sangue encontrado na zona rural de Bela Vista e também em um melão no carro de Fernanda, que estava com o suspeito, era humano. No entanto, as manchas não possuíam quantidade suficiente de DNA para análise.

O delegado disse ainda que houve a confirmação de que o fio de cabelo encontrado na cena do crime é humano. O material foi enviado para o Instituto de Criminalística para nova análise. Uma perícia complementar será realizada para confirmar se as causas da morte foram, de fato, as lesões causadas pela agressão com pedaço de pau.

A Polícia também vai analisar o laudo cadavérico do namorado de Fernanda, que foi encontrado morto em uma cela do Núcleo de Custódia. Detalhes da causa-morte do homem, porém, não foram divulgados. Apesar de não afastar a hipótese de haver mais envolvidos no crime contra Fernanda, Antônio André destaca que é remota. O caso segue sob investigação.
--
Fonte: Mais Goiás
Foto: Arquivo Pessoal