Campanha apreende cerca de duas mil pipas com linha com cerol em Aparecida de Goiânia


Com objetivo de coibir o uso, fabricação e comercialização de cerol e linha chilena para pipas, a Guarda Civil Municipal (GCM) de Aparecida de Goiânia apresenta um balanço parcial dos primeiros 15 dias da campanha “A vida por um fio”. Amparada na Lei 3.993/2017, que proíbe empinar pipas usando qualquer tipo de material cortante, a fiscalização promovida pela GCM, já apreendeu cerca de duas mil pipas, carreteis de cerol e linha chilena irregulares. A região Leste do município foi onde ocorreu o maior número de apreensão.

“Aquele que for flagrado utilizando cerol ou linha chilena recebe orientação educativa sobre os perigos eminentes ao utilizar esse tipo de material nas linhas das pipas. Quando há reincidência, encaminhamos o infrator até a delegacia. No caso de crianças e adolescentes, acionamos os pais ou responsável”, explicou o comandante da GMC Weber Júnior que destacou que a fiscalização é realizada durante todo o ano, mas intensificada no período de férias escolares.

Durante todo o mês de julho, os Guardas Civis fazem ronda nos bairros da cidade informando sobre os riscos do uso de cerol – mistura de vidro moído com cola – e da linha chilena – composta por químicos que potencializam o poder de corte. De acordo com a corporação, até o momento não foi registrado nenhum acidente com o material cortante.

“A linha cortante oferece riscos tanto para quem a utiliza quanto para pedestres, ciclistas e motociclistas. Além disso, o vidro usado para fazer o cerol em contato com fios da rede de alta tensão pode causar uma descarga elétrica em quem está em contato com o carretel irregular. Por isso intensificamos a campanha e já estamos tendo resultados positivos, pois não chegou ao nosso conhecimento, nenhum incidente grave”, informou o comandante Weber Junior.

O comandante da GCM enfatiza ainda que a brincadeira com pipas é saudável, e que brincar de forma segura é a melhor diversão. “Soltar pipa é uma brincadeira divertida, principalmente nesse período de recesso escolar. É importante salientar que em Aparecida temos locais adequados, como praças, parques, o Centro Olímpico e o Pipódromo, ali no Polo Empresarial para que as crianças, adolescentes e adultos possam se divertir de forma segura, fora do fluxo de veículos e longe de redes de alta tensão”, completou Weber Júnior.
Com objetivo de coibir o uso, fabricação e comercialização de cerol e linha chilena para pipas, a Guarda Civil Municipal (GCM) de Aparecida de Goiânia apresenta um balanço parcial dos primeiros 15 dias da campanha “A vida por um fio”. Amparada na Lei 3.993/2017, que proíbe empinar pipas usando qualquer tipo de material cortante, a fiscalização promovida pela GCM, já apreendeu cerca de duas mil pipas, carreteis de cerol e linha chilena irregulares. A região Leste do município foi onde ocorreu o maior número de apreensão.

“Aquele que for flagrado utilizando cerol ou linha chilena recebe orientação educativa sobre os perigos eminentes ao utilizar esse tipo de material nas linhas das pipas. Quando há reincidência, encaminhamos o infrator até a delegacia. No caso de crianças e adolescentes, acionamos os pais ou responsável”, explicou o comandante da GMC Weber Júnior que destacou que a fiscalização é realizada durante todo o ano, mas intensificada no período de férias escolares.

Durante todo o mês de julho, os Guardas Civis fazem ronda nos bairros da cidade informando sobre os riscos do uso de cerol – mistura de vidro moído com cola – e da linha chilena – composta por químicos que potencializam o poder de corte. De acordo com a corporação, até o momento não foi registrado nenhum acidente com o material cortante.

“A linha cortante oferece riscos tanto para quem a utiliza quanto para pedestres, ciclistas e motociclistas. Além disso, o vidro usado para fazer o cerol em contato com fios da rede de alta tensão pode causar uma descarga elétrica em quem está em contato com o carretel irregular. Por isso intensificamos a campanha e já estamos tendo resultados positivos, pois não chegou ao nosso conhecimento, nenhum incidente grave”, informou o comandante Weber Junior.

O comandante da GCM enfatiza ainda que a brincadeira com pipas é saudável, e que brincar de forma segura é a melhor diversão. “Soltar pipa é uma brincadeira divertida, principalmente nesse período de recesso escolar. É importante salientar que em Aparecida temos locais adequados, como praças, parques, o Centro Olímpico e o Pipódromo, ali no Polo Empresarial para que as crianças, adolescentes e adultos possam se divertir de forma segura, fora do fluxo de veículos e longe de redes de alta tensão”, completou Weber Júnior.

Lei municipal – A legislação que regulamenta a brincadeira em Aparecida proíbe o uso e venda de “linha cortante, cerol ou vidro moído” no comércio formal e informal. O comerciante que vender esse tipo de material terá o produto apreendido e encaminhado à autoridade policial. Além disso, será aplicada multa no valor de R$ 3 mil a cada infração cometida
--
Fonte: Secom Aparecida de Goiânia